Qual o melhor revestimento para cozinha? Veja 6 dicas para escolher

Sabia que os revestimentos para cozinha voltaram à moda? Veja 6 dicas para acertar na hora de escolher o melhor para seu perfil!

O revestimento para cozinha é uma solução de acabamento e decoração que voltou à moda. Ao reformar uma casa, geralmente se considera aplicar revestimentos nas paredes. Nesses casos, é importante escolher o material com cuidado para não se arrepender depois.

O revestimento deve ser não apenas bonito, mas resistente e funcional. Por isso, esses são pontos importantes para observar na escolha, tanto para quem vende quanto para quem compra. Devemos lembrar que a cozinha deixou de ser um cômodo destinado somente às refeições para ser integrada aos ambientes de convivência. Por isso, vale a pena investir em um material que reflita a personalidade dos donos.

Conheça, a seguir, algumas dicas especiais para escolher o melhor revestimento para sua cozinha!

1. Escolha um revestimento para cozinha sustentável

As obras sustentáveis estão em alta. Uma dica a considerar na hora de escolher revestimento para cozinha é optar por material de construção sustentável. Materiais sustentáveis apresentam características como possibilidade de reciclagem, fabricação que não gera danos significativos ao meio ambiente e durabilidade.

Na hora de escolher revestimento para cozinha, opte por material de construção sustentável.
Casa Cor São Paulo, 2019. Arq.: Marcelo Salum. Foto: Salvador Cordaro.

O poliestireno, por exemplo, é um material plástico que confere maior leveza, resistência e baixo impacto ambiental pelo potencial de reciclagem, o que o torna sustentável. Assim, por meio da reciclagem, garante-se a sustentabilidade do produto e a economia circular, tão importante à sociedade moderna.

2. Analise os móveis para escolher o revestimento

Considerar os móveis da cozinha para escolher um revestimento que seja harmônico, que se integre com a mobília

Outra dica é considerar os móveis da cozinha para escolher um revestimento que seja harmônico, que se integre com a mobília. A combinação também depende de preferências pessoais, mas é recomendado não cair em extravagâncias — é preciso ter bom senso e até mesmo seguir algumas tendências, usando uma decoração colorida sem exageros.

Cores e formas são critérios geralmente avaliados quando falamos em harmonia. Os materiais também são considerados. Por exemplo, se predominam móveis de madeira, podem ser usados revestimentos como o painel de madeira (Woodpanel) e o ripado de madeira.

Nem sempre é preciso usar as mesmas cores, mas priorize cores ou tons que combinem entre si. Há pessoas que preferem tonalidades mais neutras, como preto, branco e cinza. Criar um ambiente harmônico é de fundamental importância para a decoração interna de qualquer cômodo. A harmonia deve envolver todo o espaço e seus usuários conforme prega a neuroarquitetura.

Créditos da imagem: Weber Studio, aplicação de Woodpanel Castanho Claro, Castanho e Castanho escuro.

3. Considere se o espaço é residencial ou comercial

Considerar o tipo de espaço que receberá o revestimento para cozinha.

Para decidir qual o melhor revestimento para cozinha, também é necessário considerar o tipo de espaço que receberá o revestimento. Não existem parâmetros rígidos para diferenciar revestimentos residenciais de revestimentos comerciais. Uma possível diferença diz respeito às dimensões das peças ou à quantidade delas.

Geralmente, quando se compra mais peças, vendidas por metro quadrado, o custo-benefício é bem melhor. Uma cozinha empresarial ou industrial tende a ser maior. Os espaços comerciais também tendem a apresentar decoração mais sóbria, padronizada e formal, ao contrário das construções residenciais, em que geralmente há mais flexibilidade sobre esse aspecto.

Créditos da imagem: Weber Studio, aplicação de rodapé Cinza Titanium e Urbancrick Preto.

4. Avalie a funcionalidade e a resistência dos revestimentos

Também é relevante avaliar a funcionalidade do revestimento, ou seja, se vai conferir proteção e beleza à parede ao mesmo tempo. O revestimento ecológico também contribui para proporcionar conforto térmico e isolamento acústico. Dependendo do material, esse isolamento térmico e acústico pode ser maior ou menor. O conforto térmico permite que o usuário utilize a cozinha em qualquer horário, em qualquer estação do ano.

Convém, também, que o material seja resistente a impactos e ao teor de umidade. As cerâmicas, por exemplo, podem oferecer resistência, mas são mais vulneráveis que o poliuretano reciclado. De qualquer modo, para ter certeza da resistência do produto, consulte as especificações técnicas.

5. Certifique-se de que o produto é de fácil limpeza

A praticidade também é um critério a considerar na hora da reforma. Além de facilidade na instalação, o produto deve ser de fácil limpeza. Nesse sentido, quanto mais “enxuto” for o design da peça, mais fácil será a limpeza. Uma peça de revestimento com muitos detalhes, por exemplo, certamente dá mais trabalho para limpar, já que tende a acumular mais sujeira nas reentrâncias.

Uma superfície mais lisa é a ideal. E isso não significa menos sofisticação ou beleza. Mas também não se deve descartar toda opção com design mais elaborado. Há revestimentos que, apesar de frisados, não oferecem dificuldades de limpeza. É necessário avaliar as opções disponíveis para conferir os que são mais práticos e permitem uma limpeza rápida e eficiente.

A praticidade também é um critério a considerar na hora de escolher o revestimento para cozinha.
Ecobrick Branco Envelhecido. Arq.: Sheyla Montemurro.

6. Compre revestimentos de fornecedores qualificados

A escolha do fornecedor para o revestimento é uma das etapas mais importantes na escolha. Desse modo, opte sempre por aqueles que são confiáveis, que podem oferecer materiais de boa qualidade e, porque não, pelo melhor custo-benefício.

Essa pesquisa pelos fornecedores mais qualificados pode ser feita por meio da internet. É possível visitar várias lojas virtuais e conferir os revestimentos que oferecem, consultar as especificações de cada um e entrar em contato com a empresa.

Considere, também, consultar clientes da loja e analisar o que dizem sobre ela. Em alguns sites, é possível visualizar feedbacks de consumidores e como elas se posicionaram perante as opiniões, se responderam e ofereceram soluções que satisfizeram os clientes.

A gestão de fornecedores também deve considerar as formas de pagamento disponíveis e se elas vão de encontro às suas necessidades. Nunca é demais lembrar que os preços mais baixos não são garantia de materiais de boa qualidade. Na prática, isso significa que é melhor comprar revestimento para cozinha por um preço mais alto, mas ter certeza de que está adquirindo um produto de construção civil que seja sustentável, resistente, funcional, de fácil limpeza e instalação.

A Santa Luzia oferece revestimentos para cozinha com estas qualidades: sustentabilidade, resistência e durabilidade, praticidade, simplicidade aliada à sofisticação e ótimo custo-benefício.

O que achou das nossas dicas para escolher o revestimento de cozinha? Aproveite também para conhecer nossos produtos!

30/12/2020

    SUSTENTABILIDADE POR PRINCÍPIO

  • Santa Luzia - Green Building Council
  • Santa Luzia - Green Building Council Brasil
  • Santa Luzia - RGMat