Harmonização de cores: veja 7 dicas incríveis para pintar a casa

Mudar as cores de um ambiente pode transformá-lo por completo. Esse processo é tão importante, que 73% dos brasileiros entrevistados concordam que trocar o tom das paredes pode dar uma cara nova ao ambiente, segundo a pesquisa da AkzoNobel. Antes de mergulhar no universo das tintas, entretanto, é preciso considerar a harmonização de cores.

Todos os tons de um espaço devem conversar e formar uma unidade coesa e de fácil assimilação.

Para tirar suas dúvidas sobre o assunto, confira 7 dicas essenciais de harmonização de cores e obtenha os melhores resultados.

Quais são as regras básicas de harmonização?

Para que os tons realmente combinem entre si, não basta escolher os que você gosta. É preciso seguir a Teoria das Cores, que envolve diversos estudos sobre o tema e como vemos os tons.

Você não tem que ser especialista na área, porque com alguns truques já é possível acertar na decisão. Na sequência, veja quais são as regras mais importantes para acertar em cheio!

1. Círculo cromático

O círculo cromático é uma ferramenta indispensável para fazer escolhas adequadas. Ele envolve as 12 cores principais:

  • as 3 primárias (amarelo, vermelho e azul);
  • as 3 secundárias (verde, laranja e roxo);
  • as 6 terciárias (formadas pela combinação das secundárias).

Se as cores estiverem em lados diametralmente opostos, é sinal que são complementares. É o caso do azul com laranja, verde com vermelho e amarelo com roxo. Já as cores análogas são aquelas que estão ao lado no círculo. Verde, azul-verde e azul são bons exemplos.

Se quiser selecionar um tom base pelo círculo cromático, você poderá recorrer a outro que seja análogo ou complementar, com a certeza de que funcionarão juntos.

2. Temperatura

Dependendo da composição do tom, uma cor pode ser quente ou fria. Em geral, o recomendado é utilizar opções com a mesma temperatura para ter sucesso na harmonização de cores.

As quentes incluem o vermelho, o laranja e o amarelo (e suas derivadas, como o rosa). Já as frias são o verde, o azul e o violeta. Saber isso é importante até no caso das cores neutras. Você poderá escolher um cinza ou marrom de fundo quente para compor com o vermelho ou de toque frio para ficar bom com o azul.

3. Tríades

As tríades são compostas por vértices de um triângulo sobre o círculo cromático. Ou seja, elas não são nem complementares e nem análogas, mas ficam bem juntas.

A tríade mais famosa é a que une as cores primárias: vermelho, amarelo e azul são uma combinação básica. No entanto, também é possível selecionar laranja, roxo e verde, por exemplo. A ideia é criar combinações diferentes, mas que funcionam, visualmente falando.

Como mudar as sensações com a harmonização de cores?

Graças à psicologia das cores, podemos dizer que cada tom ou combinação gera um impacto diferente na nossa mente. Por isso, é importante pensar no humor que você deseja transmitir para selecionar os tons das paredes, dos revestimentos e de itens decorativos.

A seguir, veja algumas sugestões associadas a sentimentos específicos e veja como acertar em cheio!

Sóbrio

Quando a intenção for criar um ambiente sóbrio, é preciso investir em tons neutros e fechados. Branco, cinza e caramelo são básicos para qualquer ambiente, mas aparecem com predominância nesses espaços.

Além disso, é crucial apostar em nuances fechadas, como azul-marinho, vermelho vinho e verde-escuro. O preto também cai muito bem, especialmente quando é adicionado em detalhes.

Descontraído

Para o ambiente descontraído, o ideal é recorrer a nuances claras e vivas, dosadas com os tons básicos. É comum ver o uso de cores como o amarelo-palha, o rosa-bebê ou o verde-menta.

Tons intensos não são descartados, com o vermelho ou o violeta. No entanto, eles devem ser usados em detalhes e em composição com opções mais suaves.

Alegre

Já o ambiente alegre pode trazer uma explosão de cores que sejam harmônicas. Amarelo, vermelho e azul costumam aparecer com força total, assim como nuances de roxo e padrões multicoloridos.

Só é preciso tomar cuidado como a poluição visual. Quando os tons forem muito intensos, é melhor eleger apenas uma como o foco para o local.

Aconchegante

Para que o espaço se torne aconchegante, o truque é apostar nas cores quentes e em seus subtons. O marrom com fundo avermelhado, por exemplo, dá um toque rústico. O amarelo-alaranjado não vibra em excesso e fica mais interessante na iluminação.

A ideia é brincar com cores e sombras, para dar profundidade ao ambiente e a sensação de acolhimento. É por isso que não é tão interessante criar um ambiente todo branco ou cinza.

A harmonização de cores pede equilíbrio e unidade visual para funcionar. Com essas regras e sabendo qual é a mensagem que você deseja passar, será possível acertar na escolha!Se quiser muitas outras dicas para o seu lar, curta nossa página no Facebook e nos siga no Instagram!

08/07/2020

    SUSTENTABILIDADE POR PRINCÍPIO

  • Santa Luzia - Green Building Council
  • Santa Luzia - Green Building Council Brasil
  • Santa Luzia - RGMat