A economia circular e sua importância para o setor de construção

A produção tradicional se baseia no uso constante de novas matérias-primas para a fabricação de itens. No entanto, é possível inverter essa lógica e utilizar um jeito inédito de atuação — é a chamada economia circular.

Nesse modelo, a preocupação com a sustentabilidade e os impactos em toda a sociedade direciona os esforços. Inclusive, é uma solução para o setor de construção civil, que adquire diversos benefícios nesse sentido.

Para entender melhor como isso funciona, conheça a economia circular e saiba por que ela é importante para a construção civil!

Afinal, o que é a economia circular?

A economia circular se baseia em uma sequência de etapas focadas em uma produção mais consciente e que ajude o meio ambiente. Ela é uma alternativa à economia linear, que envolve fases de extração, produção e descarte.

Esse método se baseia em alguns princípios, como a extração criteriosa de matéria-prima, otimização de processos, o tratamento de resíduos e o reuso de produtos e componentes. É o que acontece com a reciclagem, onde elementos que seriam descartados são trabalhados e se tornam outros itens.

Ela também pode ser executada de diversas maneiras. Quando um produto é oferecido como serviço, no estilo aluguel em vez da venda, esse conceito se concretiza. O compartilhamento e a adoção da logística reversa são outros meios de colocar isso em prática.

Trata-se, portanto, de um novo jeito de atender às necessidades, com máximo aproveitamento e a consciência reforçada.

Como ela é aplicada na construção civil?

Quando falamos na construção civil, não tem como ignorar que o setor é um dos principais responsáveis pela geração de resíduos e consumo de certos recursos. Por isso, a aplicação de economia circular nessa área tem ainda mais importância.

Uma das maiores vantagens está relacionada à versatilidade e capacidade de adotar essa estratégia. É possível, por exemplo, pensar em meios de diminuir o consumo de certos componentes, como a água e materiais construtivos. Também é interessante considerar o tratamento desses resíduos, para diminuir potenciais contaminações.

Além disso, tem a oportunidade de recorrer ao uso de produtos sustentáveis e fabricados de modo circular. Essa nova alternativa ajuda a superar alguns desafios específicos da área, com máxima qualidade.

Quais são os benefícios dessa abordagem para o setor?

Essa forma inédita de produzir e consumir apresenta vantagens gerais, em diversos setores e modos de agir. No setor de construção civil, não é diferente. Por isso, veja quais são os pontos positivos desse novo modelo de produção.

Otimização dos processos

Para concretizar essa abordagem na construção civil, é preciso pensar em formas de melhorar os processos e seus resultados. Por isso, é uma alternativa que garante uma construção civil mais produtiva e eficiente, associando à qualidade e ao bom desempenho.

Reforço da sustentabilidade

Naturalmente, unir essa proposta ao setor de construção faz com que a área se torne muito sustentável. Ocorre menos extração de matérias-primas, resíduos e contaminação. Isso diminui os impactos negativos causados pelo segmento, de modo que as atividades se alinhem com um desenvolvimento sustentável.

Atendimento às necessidades do público

Apesar das mudanças, a área de construção civil continua sendo capaz de alcançar as expectativas dos clientes. Afinal, processos cada vez mais tecnológicos e robustos geram grande qualidade, sem que a preocupação com os recursos naturais seja deixada de lado. No final, é uma forma de agregar valor e entregar uma experiência melhor.

Certificação verde de obras

Para completar, a adoção da economia circular favorece a obtenção de certificações verdes para obras. Com a escolha de materiais sustentáveis e a execução de processos otimizados, por exemplo, é possível atender às exigências nesse sentido.

Como a Santa Luzia baseia seu modelo de negócios nessa alternativa?

A Santa Luzia é uma das maiores fabricantes de acabamentos e revestimentos sustentáveis de alto padrão do Brasil. Só que esse não é o seu maior destaque. A grande novidade em relação à empresa diz respeito ao seu modelo de negócios, que é totalmente adaptado para a economia circular.

Isso se tornou viável quando a marca decidiu eliminar 98% do consumo de madeira natural como matéria-prima. Em vez disso, passou a reciclar o poliestireno expandido (EPS), que é conhecido como isopor.

A produção revolucionária é capaz de reciclar 10% de todo o isopor produzido e descartado no Brasil, sem esquecer da qualidade e os bons resultados. A seguir, entenda como o modelo de negócio foi adaptado!

Triagem em cooperativas

A sustentabilidade não tem apenas o componente ambiental. Também existem questões socioeconômicas, e é por isso que a atuação da Santa Luzia começa com o trabalho em cooperativas de catadores e reciclagem.

A empresa dá suporte à atuação desses profissionais e investe na capacitação das cooperativas. Então, as entidades realizam uma triagem do material, que é compactado para retirar seu ar. Isso aumenta a viabilidade econômica e gera sustentabilidade até no transporte, que se torna mais eficiente.

Uso do componente como matéria-prima

Assim que o produto entra na linha de produção da Santa Luzia, ele é trabalhado com processos otimizados para se tornar uma matéria-prima de alta qualidade. Com atenção em cada fase, o EPS e o poliuretano são transformados em componentes de acabamento, como rodapés e molduras.

A atuação da empresa é tão consistente que detém um selo de atuação verde, conhecido como RGMat. Isso indica o alto nível de sustentabilidade dos produtos, que serão usados na construção civil.

Pesquisa e desenvolvimento de soluções

Ademais, o modelo da Santa Luzia envolve o desenvolvimento contínuo de otimizações e novas alternativas. A ideia é elaborar processos e produtos cada vez melhores, buscando outras formas de aplicação para a economia circular.

A preocupação com a pesquisa também serve para alcançar soluções para outros problemas, além de criar novas maneiras de consumo e uso dos recursos. Assim, há uma consolidação crescente quanto às questões sustentáveis.

A economia circular na construção civil já é uma realidade e promete se tornar cada vez mais forte. A Santa Luzia é parte importante desse movimento, já que atua na produção responsável e sustentável, com base no máximo aproveitamento de materiais que iriam para o lixo.

Para entender a fundo sobre esse conceito, conheça melhor nosso trabalho e saiba como essa modalidade está relacionada à sustentabilidade!

22/06/2020

    SUSTENTABILIDADE POR PRINCÍPIO

  • Santa Luzia - Green Building Council
  • Santa Luzia - Green Building Council Brasil
  • Santa Luzia - RGMat